terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

E viva o ano da serpente de água!

O novo ano é um momento de passagem, uma transição, um momento de morte e de nascimento, a morte para um ano que acaba, o nascimento para um ano que começa. É um momento para vestir uma nova pele, o carnaval.
Para terminar o ano, invocamos o protetor da gnose, da experiência primeira, para que todos os miasmas do ano que termina sejam queimados no fogo da sabedoria.
Que todas as dificuldades, tudo o que houve de doloroso, de negativo neste ano passado seja dissipado, queimado, consumido num golpe de uma «lança de fogo Vajra», é para isso que evocamos o protetor.

Depois deste repor a zeros (RAZ!), iniciamos o novo ano sob bons augúrios. A forma de iniciar o novo ano está na atenção, na plena consciência e na motivação que dá uma impulsão. Em desejos exprimimos votos para o novo ano, os votos são desejos e exprimimo-los a todos e a cada um, a todos os seres vivos e a todos os seus amigos, é a ocasião de fazer desejos para si e para todos.
O ano que começa é o ano da serpente de água. A serpente de água evoca as nagas, que são as guardiãs dos segredos, dos tesouros escondidos, são as nagas que têm guardado, durante muito tempo, os ensinamentos da Prajnaparamita e que os transmitiram a Nagarjuna (Naga-rjuna!). É um ano assente sob o signo das nagas, guardiãs de tesouros, é também um ano subterrâneo, um ano com turbulências no horizonte, perturbações.
É por isso mais importante que façamos desejos pois que poderá haver dificuldades. É recentrando-nos na prática, recorrendo a ela, encontrando a inspiração do Dharma, que podemos realizar o que é bom para nós e para os outros.
Assim, é um ano de desafios, de incitação para os valentes bodhisattvas, para os bons bodhisattvas. Guardar a palavra dada é coisa excelente, em geral e para as pessoas que tomaram votos, como diz o canto de Milarepa que nós cantámos.
Atenção! É então um ano assente sob o signo da atenção e da vigilância, da presença, da plena consciência. É o desejo que eu formulo, o desejo que vos envio do fundo do coração: «Atenção», e na atenção tudo será propício, os desejos do Dharma cumprir-se-ão, a felicidade realizar-se-á com saúde, prosperidade e todas as realizações! E viva o ano da serpente de água!
Om Ah Hum,
Sarva Mangalam!  
Denys Rinpoché

Traduzido do Francês por Miguel d'Orey
Enviar um comentário