sábado, 8 de fevereiro de 2014

o silêncio



"Com a crise que anda por aí devíamos seriamente considerar esta sugestão de Ajahn Brahm, um monje budista inglês que viveu na Tailândia muitos anos e ensina desde 1983 na Austrália. Num dos seus livros,Opening the door of your heart, a propósito do valor do silêncio e com um nota de humor, ele escreve:
Surpreende-me que falar ainda seja gratuito nas nossas modernas economias de mercado. Deve ser apenas uma questão de tempo até algum governo mais apertado pelo défice orçamental considere as palavras como um luxo e lhes aplique uma taxa.
Pensando melhor, até talvez não seja má ideia. O silêncio voltava a ser de ouro. As linhas telefónicas deixavam de estar ocupadas por adolescentes e as filas nos supermercados avançavam mais depressa. Os casamentos duravam mais pois os jovens casais não se podiam dar ao luxo de discutir. (…)
A carga fiscal iria assim dos trabalhadores para os faladores e, claro, os mais importantes contribuintes neste novo sistema fiscal seriam os próprios políticos. Quanto mais discutissem no parlamento, mais dinheiro entrava nos cofres do Estado para construir escolas e hospitais. Mas que pensamento reconfortante!" . no blog da tsering

tradição Thay em Portugal: http://www.blog.mosteirobudista.com/
Enviar um comentário