domingo, 2 de novembro de 2014

sobre o karma



Jigmé Khyentsé Rinpché sobre o karma: 

"na mesa à minha frente alguém pôs uma chávena. Ela incomoda-me. Como é que vou reagir? Por hábito, ficamos inertes face a uma situação conflitual. Sabemos que tal objecto, tal situação nos irrita, mas durante horas – mesmo anos – ficamos imóveis a perguntarmo-nos  (neste exemplo):

 “Quem pôs esta chávena ali?” Por fim, já não sabemos que a chávena foi a origem do problema, que entretanto ficou mais complexo. 

Não serve de nada perguntar “ porquê” é que a chávena está ali. Uma abertura correcta em relação ao karma seria: “Esta chávena está aqui, que posso eu fazer?”

Se ela nos incomoda, somos nós que devemos decidir se a queremos guardar ou utilizar...
Enviar um comentário