domingo, 17 de novembro de 2013

Para o budismo não há idade.



 Hoje comemora-se a partida de um mestre tibetano que viveu no Brasil.

“Hoje eu lembrei da primeira vez que vim aqui neste local. Era um mato, havia chovido e estava um barral enorme. Era a consagração do templo e depois da cerimônia o Rinpoche iria dar entrevistas individuais. Tinha uma fila enorme. Todo mundo queria perguntar alguma coisa e eu não sabia o que perguntaria.
Entrei na fila e, quando chegou a minha vez, eu perguntei, muito tímida, se eu não estava muito velha pra começar uma religião nova. Eu já estava velhina, com mais de 60. E ele olhou pra mim, parou, ficou olhando e disse assim: ‘Para o budismo não há idade.’”


Parinirvana de Chagdud Rinpoche 2012 – um álbum no Flickr
Enviar um comentário